Biblioteca ROSAE

Semana da Leitura 2018: Ler! a qualquer hora, em qualquer lugar!

Semana da Leitura 2018: Ler! a qualquer hora, em qualquer lugar!

1 Comentário

  1. WorldsPaths

    A minha experiência no 2.º ciclo e, nos últimos anos, no 1.º ciclo, tem-me mostrado que o professor tem que se preocupar, SEMPRE e SOBRETUDO, com as competências que o aluno desenvolveu e se estas lhe permitirão ter sucesso no ano lectivo subsequente. Por isto, o erro com o sucesso tem início logo no 1.º ano, no qual não se permitem retenções (origina traumas?), o que torna o 2.º ano um verdadeiro martírio para qualquer docente: alunos que lêem e exigem tarefas com determinado grau de complexidade; alunos que soletram e consequentemente ainda não interpretam, requerendo tarefas mais fáceis; alunos que ainda não conhecem os casos de leitura”, alunos que simplesmente não lêem Quantos tipos de trabalho prepara um docente no 2.º ano, mesmo não tendo em conta as crianças com Necessidades Educativas Especiais (NEE)? Vem então a admiração com a taxa de insucesso no 2.º ano do Ensino Básico!! Mas que elevada!?! Espantosamente Se não se pretende reprovar, que não se reprove ninguém- haja coragem de reformular a constituição administrativa de “Grupos, em vez de turmas, pelo grau de desenvolvimento dos alunos; permitam-se vários “momentos de transição em vez de apenas um anual, conforme a criança se for desenvolvendo e adquirindo habilidades. Tudo espartilhado, calendarizado, como se o desenvolvimento humano(FÍSICO ou COGNITIVO) fosse uniforme e programado!!! Lógico? Para mim, não.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.